Conheça o big chop e por que optar por ele na transição capilar

Quem está pensando em fazer transição capilar vai se deparar com a palavra big chop. Traduzida do inglês como “grande corte”, ele consiste em cortar toda a parte alisada do cabelo, já que é impossível retirar a química dos fios depois de anos de tratamento sem apará-los.

Optar pelo big chop não é uma regra, já que algumas mulheres preferem ir cortando as pontas conforme o cabelo cresce, até que fiquem somente as partes sem química.

Mas o efeito desigual pode comprometer a produção de um visual bacana e deixar a mulher tentada a recorrer a um novo alisamento. Como os fios crescem de 1 a 1,5 centímetro por mês, imagine o tempo necessário para que as madeixas fiquem 100% naturais!

Porque fazer o big chop ?

Procuramos o Fernando Paolo, cabeleireiro e sócio do Studio Fernando Fernandes, referência nacional em cabelos cacheados e crespos.

“Com o big chop é possível retirar toda a química em uma única visita ao salão. Do contrário, pode demorar até dois anos, com intervalos de três meses entre um corte e outro”, diz Fernando

Ele ainda conta ainda que há uma técnica específica para esse tipo de corte, usando apenas a ponta da tesoura. “Isso ajuda a ativar os cachos e melhora o caimento do cabelo que está crescendo”.

Algumas mulheres optam por fazer o big chop em casa, o que não é recomendado, pois se trata de uma mudança radical. “É preciso adequar linhas e formas de acordo com cada tipo de cabelo, rosto, desejo e personalidade”, lembra o profissional.

Enquanto passa pela transição capilar, ele recomenda iniciar uma nutrição específica em casa e ir ao salão uma vez por mês para um tratamento até o big chop. Para quem não abre mão da coloração, Paolo indica sempre os tonalizantes. “Eles promovem menor oxidação dos fios e, assim, menos danos a sua forma e estrutura”.

Veja em nosso site: Como Cuidar De Cabelos Cacheados

Cuidados pós-big chop

Em primeiro lugar, lave os fios com shampoo e condicionador para cabelos cacheados e diga adeus à escova e à chapinha. “Ao longo do tempo, o excesso de calor pode danificar a estrutura do fio tanto quanto a química”, explica Paolo.

Ele também recomenda usar e abusar de acessórios como faixas, flores, laços, tiaras e grampos para valorizar os novos fios curtinhos.

Nesse período, o ideal é lavar o cabelo de uma a três vezes por semana e, dependendo do comprimento, secar com o difusor.

Para os cabelos muitos crespos ou frisados, evite o aparelho e aplique um creme para pentear sem enxágue, amassando com movimentos lentos e firmes. Deixe secar naturalmente e não use escova.

Com esses cuidados seu cabelo vai voltar a crescer lindo e, o melhor, em sua forma natural

Receba atualizações em tempo real grátis

Comentários