Portal Elos

Leite materno muda para combater doenças do bebê

Um caso muito peculiar vem chamando atenção nas redes sociais.


Veja : Natura faz liquidação, (acesse aqui)

Na foto, dois saquinhos de leite materno da mesma mãe mostram coloração diferente, indicando uma alteração na sua composição para combater uma infecção que o bebê sentia.

Entenda porque o leite materno mudou

O caso ocorreu e foi publicado no Facebook pela norte americana Mallory Smothers, em sua postagem, Malory conta que ordenhou o leite mais claro,  durante  a noite, e como de costume, amamentava seu bebê a cada duas horas.

Naquela madrugada, Malory notou que seu bebê estava congestionada, e espirrando muito, sintomas de um resfriado.

No dia seguinte, ao extrair o leite novamente, notou que ele estava com uma coloração mais alaranjada, muito similar ao “super leite”, cheio de anticorpos e leucócitos que se produz durante os primeiros dias após o parto.

A Norte americana ainda cita um estudo científico lançado em 2013, que sugere que as glândulas mamárias da mãe são capazes de interpretar a saliva do bebê, se adaptando e customizando o leite materno para que tenha mais anticorpos e combata a infecção específica.

A foto chamou atenção do pediatra e homeopata Moisés Chencinski, que afirmou que a situação era realmente incrível, mas que necessitava de um estudo mais específico e cuidadoso.

Para Moisés Chencinski, o leite é realmente um alimento vivo, que se adapta ao que for necessário ao bebê, mas ele não pode ser responsabilizado por tudo.

Veja também em nosso site :

 Mitos E Verdades Sobre O Leite Materno

Leite Materno, Fórmula Infantil Ou Leite De Vaca?

Chencinski explica que a imunização leva tempo e não acontece de um dia para outro, assim como a vacina, leva-se tempo para que os anticorpos possam agir no organismo do bebê. “Mesmo que a saliva passe a mensagem para o leite materno e que ele produza os anticorpos necessários, dificilmente é um processo instantâneo, cujo resultado se verifique na hora.” Afirmou.

O pediatra ainda afirma  que “O leite materno até pode conter os anticorpos, mas talvez porque a mãe está ali, convivendo com o bebê, e também pode ter sido infectada pelo vírus. Então, o corpo dela produz os leucócitos que combatem aquela infecção e eles também passam para o leite”.

 

Sair da versão mobile