"Todos os castigos são inúteis”, diz o pediatra Carlos Gonzalez

30

Receba atualizações em tempo real grátis

Carlos González incentiva os pais a quebrarem as regras “absurdas e falsas” e considera os castigos “inúteis”. Para o pediatra, as crianças devem ser tratadas com mais respeito do que os adultos: podem dormir na cama dos pais, se assim o entenderem, e não devem ser obrigadas a comer (as verduras, ao contrário do que seria de esperar, não são exceção ). Acima de tudo, elas devem ser amadas.


Especial : Confira novidades da Natura para essa semana (acesse aqui)

Licenciado em medicina pela Universidade Autónoma de Barcelona, Carlos González, é o fundador e presidente da Asociación Catalana Pro Lactancia Materna (que defende o aleitamento materno) e autor de diversos livros como “Bésame mucho: como criar os seus filhos com amor”, mas o pediatra ironicamente considera não serem precisos livros para educar uma criança. O instinto natural pode muito bem ser a solução: está casado há mais de 30 anos e é pai de três – “foram eles que me ensinaram a educar um filho”.

Segundo González, alguns pais pensam que podem amar os filhos sem ter de lhes pegar ao colo ou consolá-los quando choram. “Isso coloca um problema: como é que a criança sabe que gostam dela se ninguém o demonstra? Nós, adultos, demonstramos o nosso amor fisicamente: abraçamos os amigos e beijamos os cônjuges. Não é suficiente dizer a um namorado ou namorada “eu te amo”. Um adulto necessita mais do que palavras para se sentir amado e um bebé, que não as entende, necessita ainda mais”.

Crianças podem dormir na cama dos pais.

As crianças pequenas despertam várias vezes durante a noite, quase a cada hora e meia ou duas horas, sobretudo entre os quatro meses e os dois ou três anos. Para os pais é muito incômodo se levantar três ou cinco vezes por noite para cuidar do filho. Por isso, muitas famílias descobrem que é mais cômodo dormirem todos juntos.

González diz que muitas crianças gostam de dormir com os seus pais e vice-versa. Esse é o benefício: são felizes e dormem tranquilos. Mas também pode haver crianças ou pais que prefiram dormir sozinhos. Basicamente, há três maneiras de se organizarem para dormir: a criança pode ficar no seu quarto, no dos pais, mas no seu próprio berço ou cama, ou na cama dos pais. Estas três formas combinam-se de mil maneiras. O importante é que os pais compreendam que têm o direito de decidir sobre a maneira que melhor funciona para todos e que não são escravos da sua decisão, que podem mudar de ideias.

Castigos para crianças são inúteis

Segundo o pediatra os castigos são inúteis, tanto para as crianças como para os adultos. É claro que é preciso impor limites aos mais novos, mas castigo não é não é a solução. ” Eu não castigo a minha esposa ou os meus amigos, vizinhos, taxistas… Como médico não castigo os meus pacientes nem a minha enfermeira. Porquê castigar apenas os meus filhos? Que eles terão feito de tão terrível para merecerem um castigo? É um absurdo. É curioso que se fale de crianças “manipuladoras” quando estamos querendo colocar regras e limites a crianças. Isto é, para manipular. Nós manipulamos as nossas crianças, compramos livros que explicam como fazê-lo… e os “manipuladores” são eles? ” Diz González.

Para o pediatra as crianças não são adultas, mas são parecidas. E, em todo o caso, precisam de mais respeito do que os adultos, porque são mais frágeis. E que muitas vezes castigamos as crianças por coisas que nunca puniríamos num adulto. “Se vejo a minha esposa ou um amigo chorar, pergunto o que esta acontenco e tento consolá-los. Para os meus filhos é igual. Se estou comendo com um amigo e vejo que ele deixa metade da comida no prato, não o obrigo a acabar tudo. Com os meus filhos também não faço isso. Jamais bateria na minha mulher, no meu pai ou em companheiros de trabalho. Muito menos nos meus filhos.” Completa González.

E para você acha que o pediatra esta corrento em não castigar as crianças ?

Receba atualizações em tempo real grátis

30 Comentários
  1. Mestre Sam Diz

    Manda ele cuidar das crianças na Cracolândia e no Morro do Alemão! daqui a dez anos quero ver os resultados!

    1. Sah Diz

      Se ele cuidar desde bebezinhos,acredito que seriam crianças boas e amavéis não é pq uma criança mora na favela que ela vai ser tonar um adulto ruim, bandido assaltante ,marginal ,drogado etc..Nada haver esse seu comentário!!Ou vc acha oq,que todas as crianças que estão lá no Alemão,vão se tonar pessoas ruins?Pois vc está mt enganado, criança precisa de amor e carinho,morando na favela ou não!!!

    2. Cláudia Romeu Diz

      Bom é válido todas as opiniões para melhor criar seu filho , mas o ideal e pegar essas dicas com psicólogos que entendem de comportamento humano , pediatras entendem da parte orgânica do funcionamento do corpo humano. Dormir na cama dos pais mais tarde trás um problema enorme a essas crianças , então sr.pediatra não diga opiniões invalidas .

      1. Taniella Diz

        a reportagem não explicou muito bem que ele é pediatra e terapeuta e traz uma outra visão de educação. Esta é a crença que nos fizeram acreditar para separar as mães do seus bebês… No livro ele explica melhor. Vale a pena conhecer uma outra proposta de relação pais e filhos

    3. Gabrielle Diz

      Criança tem que ter atenção e amor mas é claro respeito tambem!
      Criança ate os 8 anos tem que ficar de castigo sim, se necessário apanhar! por que antes dos 8 ela tem que ter medo de fazer algo errado e levar uma punição e ter regras, dos oito em diante ela tem que ter respeito! que adquiriu nesse tempo!

      1. Sandra Diz

        Gabrielle, entao quando vc fizer algo errado, desejo que seu marido te de uma baita, surra que vc nunca mais esqueca!! Pra ver se vc aprende!! Ou se vai ficar com odio!!!! Entendo o pediatra, e tbm acho que educacao se faz com respeito e amor!

      2. Raquel Diz

        Qurerida Gbrielle, por acaso seus filhos são estúpidos de mais para entender as coisas?? E por isso vc precisa lhes impor medo para que hajam de acordo??? Por que eu cinseramente não vejo razão nem uma para impor medo a uma pessoa que tem capacidade de entendimento e interpretação de ações e cituações. Sim crianças são pessoas com capacidade de compreensão, e cabe a nós adultos encontramos formas de nós fazer entender. Esse seu comentário só permite uma conclusão, alguém está fazendo algo muito errado nessa relação.

    4. stephani Diz

      Na vdd ocorre q essas crianças q sao as mais castigadas. Ou vc pensa q elas estão la pq querem? ? Se toca!

    5. Carlos Diz

      Concordo Paulo,

      A unica coisa que ele acerta é devemos amar muito as crianças e amar é saber dizer não. Por exemplo: seu filho fica correndo na rua, você tem certeza que o ama? Se ele for atropelado terá sequelas graves ou morre e você será acusado de abandono de incapaz.

    6. Beatriz Sousa Diz

      bom eu acredito que se ele cuidar dessas crianças da CRACOLÂNDIA e do MORRO DO ALEMÃO, elas vão ser bem educadas, e amadas !!! Mais pegar elas já da forma que estão, será tarefa meia que impossível, porque educação vem do BERÇO!!!

    7. Kakau Diz

      Pois a maioria dessas crianças da cracolandia,não tem carinho,atenção, amor dos seus pais e é isso que o faz um adulto rebelde!!

  2. Ariane de Albuquerque Diz

    Minhas irmãs e eu fomos mto traquinas, e minha mãe batia, colocava de castigo…e somos pessoas do bem e sem mágoas pelas palmadas que levamos. Meus filhos apanharam e ficaram…e ficam assim mereçam desobedeçam. Antes ninguém via os jovens do jeito que estão, mtos matando, roubando e até matando por falta de pulso firme dos pais. Não é, que qualquer coisa que a criança faça, coloquem de castigo, td tem limites. Mas, castigo na minha opinião não mata e nem trás sequelas nenhuma!!!! Minhas irmãs e eu somos prova viva disso. Agradeço mto aos meus pais, pois eles batiam, colocavam de castigo, mas amava tbm nós as filhas traquinas!!!! Bom essa é a minha opinião.

    1. Taniella Diz

      Eu também fiquei de castigo e levei palmada, mas vivemos sob uma cultura educacional vinculada a agressão… Difícil é quebrar este círculo vicionso em que estamos. Existem outras formas de educar, dar limites, mas com amor. Nào que nossos pais não nos amaram, mas era porque era a forma que eles aprenderam a educar. Podemos fazer de forma diferente e este é o desafio… Dar limites sim, sempre! Eu discordo dele sobre castigo ser inútil. Como voc6e falou, colocar de castigo para tudo, perde o efeito. Penso que deve ser a última alternativa… antes dialogar e explicar muitas vezes…

      1. Kakau Diz

        Sinceramente castigo não adianta, fiquei de castigo na infância e só me ensinou a ser mais esperta pra não ser pega novamente!!

    2. Beatriz Sousa Diz

      mas tem uma diferença, nos dias de hoje tudo mudou, até a forma de EDUCAR os filhos mudou, eu como filha vejo que bate realmente é inútil nos dias de hoje.. As vezes minha mãe me bate, ela é bastante agressiva, muito mesmo, me bate por qualquer coisa, se eu estiver lavando as louças e deixar cair uma panela ela me bate, e as vezes isso pode causar sérios dados.. Uma vez ela me bateu com uma colher de ferro na cabeça, que quase desmaiei mesmo… Ja bateu várias vezes com cabo de vassoura na cabeça.. Nossa… Acho que se ela conversasse mais comigo eu era uma pessoa melhor, más ela não tem diálogo, deve ser porque ela está REGREDINDO o que herdou do pai dela, porque ele também batia muito nela…. tenho 16 anos!!!!

  3. paulo Diz

    Vc. deixar a criança fazer tudo que ela quer sem puni-la é a mesma coisa de mandar ela roubar ou matar que não vai acontecer nada com ela. Se nós não punimos quando pequena o mundo vai punir quando grande, e o mundo não pune com toda delicadeza que os pais pune…fica dica!

    1. Taniella Diz

      Eu penso que a criança deve ser sempre educada e orientada… Mas punir? é uma palavra muito forte, pensando que estamos falando de crianças que não tem maturidade para compreender o mundo como nós… dar limites sim, mas a gente aprendeu que devemos punir para ensinar, quando existem outras formas de educar e dar limites sem punir…

  4. Hedem Martins Diz

    Falo sem medo de errar….
    Ela está errada.

    As crianças não precisam só de limites, elas também precisam intender quando fazem algo errado. Pra não se valer das agressões físicas, é muito certo que os pais se valham do castigo, mas não há duvidas em relação ao respeito e dialogo que se deve ter em relação às crianças.

  5. Giulliana Carvalho Diz

    Ok, ate concordo com suas argumentações, pois se nao fazemos com adultos por que fazer com crianças que são indefesas?! Ele, porém, apenas disse o que não se deve fazer, mas nao direcionou sobre o que fazer de certo, afinal, crianças precisam ser direcionadas e disciplinadas, para que cresçam sabendo agir e fazer escolhas equilibradas para suas vidas. Para mim o questionamento permanece: Se nao devemos castigar, qual o meio certo de ensinar limites e faze-los compreender o certo e errado??

    1. Taniella Diz

      Eu li o livro Besame mucho e fez muito sentido o que ele diz quando a gente lê todo o livro. Aqui pegaram algumas falas soltas sem contextualização… eu sugiro o livro dele… Antes de tudo temos que entender que a criança entende as coisas que falamos. tentamos sempre e antes de tudo dialogar com a criança. Ela não tem maturidade para compreender como nós compreendemos e por isso, temos que dar tempo para elas… temos que sempre cuidar de não jogarmos nossas frustrações nelas. Elas são muito sensíveis e sentem o que sentimos e ficam confusas com nossos sentimentos. Eu sempre deixo muito claro para minha filha desde pequena quando estou chateada não é com ela mas com o trabalho, pessoas, etc.

  6. amanda Diz

    Por isso ele é pediatra e não psicólogo, pedagogo ou psicopedagogo. Querendo ser o que não é…

    1. Taniella Diz

      A reportagem é muito superficial. Ele é terapeuta também e traz uma outra visão de relação pais e filhos voltadas ao amor e não à agressão… É uma forma possível de educar, mais instintiva… Eu acredito que as pessoas reagem conforme a nossa ação. Se eu ajo de forma atenciosa, eu recebo atenção. Se eu ajo de forma agressiva, eu recebo agressão. AS crianças imitam os adultos. Se eu for amorosa, ela será amorosa. Se eu for agressiva, ela será agressiva… Que ações você gostaria que seu filho imitasse sua? Para nossa cultura, baseada na educação através da palmada, esta proposta é um choque muito grande, mas vale a pena ler o livro e ouvir um outro jeito de educar possível…

  7. Patricia Ribeiro Diz

    Acho que o Dr. Carlos não deveria julgar as crianças pelos seus filhos, que devem ser santos! Muitas vezes por mais que tente as crianças fogem do controle sim e perdendo algo eles pensam um pouco. Não concordo com que ele diz.

  8. Fabiano Motta Diz

    Respeito o autor da matéria e confesso que algumas colocações podem ter razões, mas me parece uma teoria muito superficial e talvez com base em um empirísmo pessoal. Como fazer quando a criança desrespeita? Paro de falar com ela? Excluo do meu ciclo de “amizade”? Com adulto talvez faríamos isso. Como fazer com uma criança de 3 anos que se recusa a tomar banho? Deixa suja? Por mais que o amor seja um elo perfeito nessa relação, acredito que deve vir acompanhado de disciplina e atitudes que reforcem o comportamento infantil, tudo dentro de critérios claros.

    1. Taniella Diz

      Legal sua ponderação… eu sugiro ler o livro que é muito bom. ele não fala de deixar a criança fazer o que ela quer, ele apresenta outras formas de dar limites sem violência. A reportagem é que está muito superficial. No livro ele é bem claro e detalhado… Tem na internet.

  9. Aline Diz

    Existe uma grande diferença entre manipulação e educação!!! Talvez o senhor estivesse trabalhando enquanto sua esposa educava seus filhos, pois seguindo seus conselhos, sem dúvidas meu filho irá crescer desrespeitando tudo e todos. Minha irmã tem um filho de 3 anos que acha que manda na casa, bate, morde, não escuta ninguém e a vida intima do casal já não existe, pois a criança dorme com eles desde que chegou em casa da maternidade. Acho que a maior demonstração de amor é educar seu filho p não sofrer no futuro, educar com muito amor.

  10. Lili Diz

    Crianças tem que ter limites sim!
    O meu de um ano, ainda nem sabe o que é ter medo de cair de uma altura, por isso o cuidado é redobrado e tento ensinar que não pode para aprender o que é certo ou errado, se não cresce sem respeito e limites.

  11. Adriana Diz

    Não entendi como é que ele dá limites aos filhos.

  12. kamilla Diz

    “Minha enfermeira”…
    Em que mundo ele vive para achar que outro profissional de saúde é dele?
    Quanto ao tema da reportagem, eu concordo com ele.

  13. Beatriz Sousa Diz

    mas tem uma diferença, nos dias de hoje tudo mudou, até a forma de EDUCAR os filhos mudou, eu como filha vejo que bate realmente é inútil nos dias de hoje.. As vezes minha mãe me bate, ela é bastante agressiva, muito mesmo, me bate por qualquer coisa, se eu estiver lavando as louças e deixar cair uma panela ela me bate, e as vezes isso pode causar sérios dados.. Uma vez ela me bateu com uma colher de ferro na cabeça, que quase desmaiei mesmo… Ja bateu várias vezes com cabo de vassoura na cabeça.. Nossa… Acho que se ela conversasse mais comigo eu era uma pessoa melhor, más ela não tem diálogo, deve ser porque ela está REGREDINDO o que herdou do pai dela, porque ele também batia muito nela…. tenho 16 anos!!!!

Deixe um cometário :)

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.