Como saber se você é um viciado em games

18

Receba atualizações em tempo real grátis

A Organização Mundial da Saúde (OMS) decidiu considerar oficialmente o vício em videogames como uma doença mental. A título de curiosidade, desde 1992 a Classificação Internacional de Doenças (CID-11) não era atualizada. A nova versão do guia será publicada ainda este ano contendo sintomas, códigos e números relativos a doença. O CID-11 é usado por médicos e pesquisadores da área da saúde em todo o mundo como base para o diagnóstico de doenças.

Inicialmente, a OMS descreve o vício em games como um tipo de comportamento onde  a necessidade de jogar impera sobre outros interesses vitais para a vida da pessoa. Apesar de apenas recentemente a Organização decidir se posicionar sobre o assunto a questão já vinha sendo tratada com muita seriedade por diversos países. No Japão as fabricantes foram obrigadas a alertar os usuários que jogam muito tempo. A Coréia do Sul limitou a quantidade de horas que podem ser jogadas por menores de 16 anos enquanto que na China a companhia Tencent também tratou de impor limites.

De acordo com a OMS, o vício em videogames fica ainda mais evidente após um período de um ano. Segundo a Organização seria esse o prazo necessário para que a doença seja diagnosticada. Mas, há casos em o problema pode ser identificado antes, mais especificamente, quando os sintomas atribuídos ao vício são muito severos.

Mas, como saber se você é um viciado em vídeo games? Para isso, a OMS definiu três critérios básicos para uma análise preliminar:

Falta de controle

A pessoa não consegue controlar o tempo em que permanece jogando, a freqüência e nem a intensidade. Ou seja, ela não consegue limitar o quanto passa jogando e nem quantas vezes joga em um determinado período, por exemplo, em uma semana.

Veja em nosso site : Crianças e internet: Como controlar o acesso dos pequenos

Aumento do tempo na atividade, mesmo com problemas

A pessoa desconsidera os riscos que longos períodos jogando podem trazer para a sua saúde física e bem-estar social. Ela deixa de se cuidar e se afasta de muitas atividades que fazia para se concentrar ainda mais nos jogos.

Prioridade ao jogo

Jogar passa a ser uma prioridade na vida da pessoa e prevalece até mesmo sobre pontos vitais como comer e dormir. Além disso, a rotina é alterada uma vez que a cada dia ela passa mais tempo na atividade.

Tratamento em vicio em games

É importante ressaltar que apenas uma parcela mínima das pessoas que jogam apresentará o vicio em games. O diagnóstico do vício de games é feito por um especialista em psiquiatria, uma vez que outros possíveis transtornos mentais ou sofrimentos enfrentados pelo indivíduo devem ser levados em consideração.

Especialistas apontam que a decisão da OMS é bem-vinda, mas alertam para outros problemas que podem surgir como, por exemplo, discussões entre pais e filhos. Talvez o adolescente seja apenas um entusiasta dos games e os seus pais o vejam como viciado e passível de tratamento. Nesse caso, o bom senso deve prevalecer de ambos os lados.

Receba atualizações em tempo real grátis

Comentários estão fechados.