Impostos no Brasil – Veja o quanto você paga para viver aqui

0

Receba atualizações em tempo real grátis

O Brasil tem a maior carga tributária do mundo. Você sabe o quanto de imposto paga por produto ?

Para você ter uma ideia, quando você compra a tão sonhada casa própria, só nela tem 49,02% de imposto, sem contar o financiamento e juros.

Veja a carga de impostos que pagamos todos os dias, sem contar o IR e outros impostos que já são retidos nos salários.

Confira a lista :

Produto %Tributos no Preço Final
Passagens aéreas

8,65%

Transporte Aéreo de Cargas

8,65%

Transporte Rod. Interestadual Passageiros

16,65%

Transporte Rod. Interestadual Cargas

21,65%

Transp. Urbano Passag. – Metropolitano

22,98%

Vassoura

26,25%

Conta de água

29,83%

Mesa de Madeira

30,57%

Cadeira de Madeira

30,57%

Armário de Madeira

30,57%

Cama de Madeira

30,57%

Sofá de Madeira/plástico

34,50%

Bicicleta

34,50%

Tapete

34,50%

MEDICAMENTOS

36%

Motocicleta de até 125 cc

44,40%

Conta de Luz

45,81%

Conta de Telefone

47,87%

Motocicleta acima de 125 cc

49,78%

Gasolina

57,03%

Mensalidade Escolar

37,68% (ISS DE 5%)

Cigarro

81,68%

PRODUTOS ALIMENTÍCIOS BÁSICOS
Carne bovina

18,63%

Frango

17,91%

Peixe

18,02%

Sal

29,48%

Trigo

34,47%

Arroz

18,00%

Óleo de soja

37,18%

Farinha

34,47%

Feijão

18,00%

Açúcar

40,40%

Leite

33,63%

Café

36,52%

Macarrão

35,20%

Margarina

37,18%

Molho de tomate

36,66%

Ervilha

35,86%

Milho Verde

37,37%

Biscoito

38,50%

Chocolate

32,00%

Achocolatado

37,84%

Ovos

21,79%

Frutas

22,98%

Álcool

43,28%

Detergente

40,50%

Saponáceo

40,50%

Sabão em barra

40,50%

Sabão em pó

42,27%

Desinfetante

37,84%

Água sanitária

37,84%

Esponja de aço

44,35%


PRODUTOS BÁSICOS DE HIGIENE
Sabonete

42%

Xampu

52,35%

Condicionador

47,01%

Desodorante

47,25%

Aparelho de barbear

41,98%

Papel Higiênico

40,50%

Pasta de Dente

42,00%

MATERIAL ESCOLAR
Caneta

48,69%

Lápis

36,19%

Borracha

44,39%

Estojo

41,53%

Pastas plásticas

41,17%

Agenda

44,39%

Papel sulfite

38,97%

Livros

13,18%

Papel

38,97%

Agenda

44,39%

Mochilas

40,82%

Régua

45,85%

Pincel

36,90%

Tinta plástica

37,42%

BEBIDAS
Refresco em pó

38,32%

Suco

37,84%

Água

45,11%

Cerveja

56,00%

Cachaça

83,07%

Refrigerante

47,00%

CD

47,25%

DVD

51,59%

Brinquedos

41,98%

LOUÇAS
Pratos

44,76%

Copos

45,60%

Garrafa térmica

43,16%

Talheres

42,70%

Panelas

44,47%

PRODUTOS DE CAMA, MESA E BANHO
Toalhas – (mesa e banho)

36,33%

Lençol

37,51%

Travesseiro

36,00%

Cobertor

37,42%

Automóvel

43,63%


ELETRODOMÉSTICOS
Sapatos

37,37%

Roupas

37,84%

Aparelho de som

38,00%

Computador

38,00%

Fogão

39,50%

Telefone Celular

41,00%

Ventilador

43,16%

Liquidificador

43,64%

Batedeira

43,64%

Ferro de Passar

44,35%

Refrigerador

47,06%

Vídeo-cassete

52,06%

Microondas

56,99%


MATERIAL DE CONSTRUÇÃO
Ferro

37,07%

Tijolo

34,23%

Telha

34,47%

Móveis (estantes, cama, armários)

37,56%

Vaso sanitário

44,11%

Tinta

45,77%

Casa popular

49,02%

 

Mas existem fatos sobre os impostos no Brasil que você certamente não conhece, por isso separamos essa lista para você, confira :

Pagamos mais impostos no Brasil em remédios do quem em filmes e revistas pornôs.

remedios

Sim, isso mesmo. Enquanto revistas eróticas sofrem uma taxação de 19%, nossos remédios possuem uma carga tributária de incríveis 34%. Além de dar prioridade para o conteúdo adulto, nosso sistema tributário ainda nos trata pior que animais: segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), medicamentos veterinários possuem uma carga tributária de 13%, quase um terço dos impostos embutidos em remédios de uso humano.

Nosso sistema tributário é tão complicado que até concorre a um recorde no Guinness World Records

livro imposto

Anualmente, as empresas brasileiras gastam 2.600 horas para cumprir suas obrigações tributárias. É o pior resultado entre 189 países. Estamos atrás até mesmo de países como a Venezuela (792 horas), a Nigéria (956 horas) e o Vietnã (872 horas).

Mesmo o penúltimo colocado, a Bolívia, dá uma surra no Brasil: 1.025 horas. Para regular a vida do cidadão, ímpeto legislativo brasileiro já publicou, desde 1988, 4,35 milhões de regras legais ou seja 518 por dia.

Um advogado resolveu correr atrás do número exato dessa burocracia toda. Foram quase 20 anos compilando as leis tributárias de municípios, estados e da Federação. O resultado: um livro de 7,5 toneladas, 2,21 metros de altura e 41 mil páginas contendo todas as normas tributárias do país, escritas em fonte tamanho 22.

Atualmente, o livro concorre na categoria de mais pesado e com mais páginas do mundo. Ao todo, o trabalho custou R$ 1 milhão – dos quais, 30%, foram gastos com impostos.

Imposto de importação, mais alta que em países comunistas

celulares

Em 1988, a União Soviética fez uma reforma tributária e de comércio exterior, com a intenção de atrair investimentos externos. O limite de participação estrangeira em negócios, por exemplo, saiu dos 49% para 80%. Junto com essa reforma, o governo também promoveu uma abertura comercial, permitindo a importação de diversos produtos e fixou as tarifas de importação para eles, que variavam de 1% (para itens de necessidade básica, como alimentos) até 30%, em casos de itens supérfluos, como eletrodomésticos.

O imposto no Brasil de importação de 60% do valor do produto. As taxas ainda podem ser maiores dependendo de impostos estaduais, como o ICMS, cobrado em cima do valor do produto após a taxa de importação. Como em alguns estados o ICMS pode chegar a 18%, a tarifa total sobre a importação pode totalizar 89% do valor da mercadoria.

Alem disso o Brasil fica fora de vários acordos de importação, como o que aconteceu recentemente, o qual o Brasil ficou de fora de um grande acordo global que eliminará tarifas de importação de produtos eletrônicos em cerca de 80 países, o que reduziria o preço de muitos produtos importados.

O que mais dói, é que o retorno sobre impostos no Brasil é o pior entre 30 países analisados pelo IBPT – posição que ocupamos por 5 anos consecutivos. Com um retorno tão baixo força o cidadão pagar para a iniciativa privada, quando possível, por alguns serviços como educação e saúde.

E os que não podem pagar, ficam relegados a serviços públicos de péssima qualidade.

Com informações do Spotniks.

Receba atualizações em tempo real grátis

Deixe um cometário :)

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.