Lote de achocolatado contaminado é farsa – Atualizado 01/09/2016

0 19

Receba atualizações em tempo real grátis

Muitas mães e pais ficaram preocupados com um mensagem divulgada no Whatsapp e nas redes sociais, com informações, fotos e mensagens de áudio sobre mortes relacionadas ao consumo de achocolatado.

Natura faz liquidação relâmpago
Veja as ofertas no site oficial da Natura

Uma das mensagens dizia “O filinho dela tomou um toddynho da marca Itambé e começou a passar mal. Ela (a mãe) também tomou dois golinhos e também começou a passar mal”, diz a mensagem divulgada.”

“Olá pessoal venho informar a vcs que não dê toddynho para seus filhos pois duas crianças chegaram a óbito, o toddynho está envenenado”, afirma outra

Depois disso muitas pessoas começaram a compartilhar uma notícias antiga sobre a suspensão de um lote do achocolatado Toddynho da empresa Pepsico, em 2014, que estaria contaminado pela bactéria Bacillus Cereus, que provoca intoxicação alimentar.

Sobre a contaminação do “Toddynho” em 2016 em Cuiabá

A PepsiCo, fabricante do achocolatado Toddynho, reforçou, em nota, que a repercussão sobre contaminação do achocolatado Toddynho se trata de um “boato”, além de afirmar não haver nenhuma relação com o ocorrido em Cuiabá (MT).

“Os boatos de que Toddynho estaria contaminado são completamente inverídicos. A PepsiCo reitera o seu compromisso com a qualidade de seus produtos e com a total transparência na relação com os seus consumidores.”

E a Itambé que foi citada em alguns audios também lançou uma nota para impressa :

“A Itambé Alimentos S.A. divulgou hoje uma nota de esclarecimento sobre a suposta morte de uma criança após a ingestão do achocolatado Itambezinho.

Continua depois da publicidade 

Prezado Cliente,

Informamos que sexta-feira, 26 de agosto, recebemos a informação da morte de uma criança de dois anos de idade em Cuiabá, Mato Grosso, supostamente após a ingestão do produto achocolatado Itambezinho (200ml).

Os fatos foram trazidos ao conhecimento da Itambé por parte da Secretaria de Vigilância Sanitária da cidade de Cuiabá, e está sendo investigado pelos órgãos locais.

Ressaltamos que a Itambé prima pela qualidade e excelência dos produtos que chegam às suas gôndolas e este produto está no mercado há mais de uma década e nunca apresentou qualquer problema correlato. Até o presente momento, não tivemos nenhuma outra reclamação de qualquer natureza referente a essa data de fabricação 25.05.16, com validade 21.11.16.

Informamos ainda que a Itambé já realizou análises laboratoriais internas do lote citado, não identificando nenhuma não-conformidade. Em paralelo, outras análises estão sendo feitas em laboratórios externos e no próprio Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). A empresa já disponibilizou as contraprovas para os órgãos oficiais e continuará trabalhando em conjunto para outros esclarecimentos que se fizerem necessários. ” diz a nota.

Atualização do caso Toddynho

Segundo o Jornal ReporterMT, Policiais civis da Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente (Deddica), prenderam na manhã desta quinta-feira (01), Adônis José Negri, 61 anos, que é acusado de envenenar o achocolatado Itambezinho, que causou a morte do menino R.C.S.S, de 02 anos, na última quinta-feira (25).

Adônis confessou que envenenou o produto com “Era Rato” para matar Deuel, que furtava produtos de sua casa constantemente, mas Duel vendeu o achocolatado à família do menino, que morreu envenenado.

Receba atualizações em tempo real grátis

Deixe um cometário :)

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.