fbpx

A

Menino com autismo tem crise em parque e funcionária tem uma linda atitude

0

Receba atualizações em tempo real grátis

Enquanto o Homem-Aranha estava de folga, uma super-herói da vida real entrou em ação para confortar o pequeno Ralph, em um parque de diversão.

Ralph tem autismo e estava no parque da Universal, em Orlando e estava ansioso para ir no brinquedo do Homem Aranha.

Segundo sua mãe, Leonore Kooppelman, como o brinquedo era perto da saída do parque, foi deixando por ultimo.

“Deixamos o brinquedo por último porque ele ficava perto da saída do parque. Ralph passou o dia ansioso para ir no brinquedo, mas conseguiu controlar a ansiedade e expectativa da melhor forma possível”, contou Leonore.

Finalmente, quando chegou a hora de ir no brinquedo a mãe percebeu que o menino iria ter uma crise. E infelizmente teve, e deitou no chão e começou a gritar e chorar muito, foi quando um anjo apareceu.
Jennifer, uma funcionária do parque, se aproximou e deitou ao lado de Ralph.  Jennifer ficou deitada e ajudou o Ralph a se acalmar e a respirar.
Para confortar o menino, ela falou que não havia problemas em se sentir triste e que ele poderia ficar deitado o tempo que precisasse. Quando ele se acalmou e conseguiu levantar, a Jennifer ainda o levou para uma das lojinhas do parque e disse que ele poderia escolher qualquer coisa no valor de até 50 dólares. “Ele disse que estava bem e pegou apenas uma caneta”, disse a mãe.
Passada toda essa situação, a mãe do menino foi conversar com a funcionária do parque para agradecer o que ela tinha feito. Jennifer disse que os funcionários são treinados para lidar com crianças especiais e que Ralph a tinha feito lembrar do sobrinho dela que também é autista.
Depois disso Leonore fez um emocionado post no Facebook.

Veja em nosso site :

Autismo

Estima-se que o Brasil, com seus 200 milhões de habitantes, possua cerca de 2 milhões pessoas com autismo. Apesar de numerosos, os milhões de brasileiros autistas ainda sofrem para encontrar tratamento adequado.
Como existe uma série de graus de autismo, a intensidade dos sintomas pode variar.
“A criança no extremo do espectro tem seu comportamento bastante comprometido, enquanto a pessoa de grau leve pode ser extremamente brilhante”, diz o dr. Estevão Vadasz, professor do Instituto de Psiquiatria (IPq) da USP.  Segundo o professor, uma criança pode evoluir se diagnosticada cedo e se submetida a tratamento adequado. “O diagnóstico e tratamento precoces, com a criança de até um ano e meio, é o grande salto nos países desenvolvidos”, afirma Vadasz.
Através da CNN USP

Receba atualizações em tempo real grátis

Deixe um cometário :)

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.