Na campanha eleitoral, carro de som só se o candidato estiver dentro do veículo

Receba atualizações em tempo real grátis

Os famosos carros de som das campanhas eleitorais tendem a acabar ou pelo menos vão diminuir muito, tudo isso por conta da determinação do TSE.

A nova determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) diz que só será permitido o uso de um carro de som com a presença do político no veículo. Alem disso o barulho será controlado,o carro deve obedecer o limite de 80 decibéis, medidos a sete metros de distância do veículo.

E os comícios podem durar até a meia noite apenas, somente no ultimo dia de campanha que o horário pode ser até as 2h da manhã.

No caso dos carros de som, caso a determinação seja descumprida os carros serão apreendidos, e o político multado. A mudança partiu por diversas reclamações das últimas eleições. Foram registrados diversos abusos, alguns candidatos usavam os carros apenas para atacar outros candidatos, sem mostrar nenhuma proposta.

Outdoors também estão proibidos, também bandeiras e cavaletes que atrapalhem os pedestres e motoristas.

Campanha na internet

Mas se prepare, pois a Justiça autorizou os candidatos a pagarem pelo impulsionamento de conteúdo eleitoral nas redes sociais, então a partir de 16 de agosto , você verá muita publicidade no Facebook pedindo votos.

Eleições no Brasil

Muitos brasileiros ainda não estão cientes de quais são as datas mais importantes das eleições deste ano. As principais são:

Registro de candidatos: 15 de agosto

Primeiro turno das eleições 2018: 07 de outubro

Segundo turno das eleições 2018: 28 de outubro

 

O horário eleitoral, isto é, propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão, começará no dia 31 de agosto e terminará no dia 04 de outubro. Veja outras datas

5 de julhoA partir deste dia, está liberada a propaganda intrapartidária para políticos que desejam ter seu nome indicado pelo partido.
7 de julhoA partir desta data, os agentes públicos ficam proibidos de praticar várias condutas, entre elas: remover, transferir ou exonerar servidor público. Também passam a ser proibidas inaugurações e contratação de shows artísticos pagos com recursos públicos.
17 de julhoPeríodo de habilitação do eleitor para voto em trânsito.
20 de julhoDesta data até 5 de agosto, podem ocorrer as convenções para a escolha dos candidatos. Além disso, não é mais permitida a realização de enquetes relacionadas ao processo eleitoral.
25 de julhoA partir desta data, os partidos e candidatos deverão enviar à Justiça Eleitoral          os dados sobre recursos financeiros recebidos para financiamento de       campanha até 72 horas após o recebimento desses recursos.
15 de agostoData-limite para que partidos e coligações apresentem o requerimento de        registro de candidatos junto à Justiça Eleitoral.
16 de agostoPassa a ser permitida a realização de propaganda eleitoral, como comícios, carreatas, distribuição de material gráfico e propaganda na internet.
31 de agostoInício do horário eleitoral no rádio e na televisão.
9 de setembroA primeira parcial da prestação de contas deve ser enviada para a Justiça Eleitoral até esta data.
17 de setembroTermina o prazo para que a Justiça Eleitoral julgue todos os pedidos de registro de candidatos que vão concorrer ao pleito.
22 de setembroA partir desta data, nenhum candidato pode ser detido ou preso, salvo em flagrante.
2 de outubroA partir deste dia, nenhum eleitor pode ser detido ou preso, com exceção de: flagrante delito, sentença criminal condenatória por crime inafiançável ou desrespeito a salvo-conduto.
4 de outubroData-limite para a realização de debates no rádio e na televisão. Também acaba      a permissão para realização de propaganda política feita através de comícios.
6 de outubroData-limite para a distribuição de material gráfico e realização de caminhadas, carreatas, passeatas ou carros de som. Também é o último dia para o TSE divulgar comunicados e instruções ao eleitorado.
7 de outubroPrimeiro turno das eleições.
28 de outubroSegundo turno das eleições.

Fonte: Tribunal Superior Eleitoral

Nessa eleições a Organização dos Estados Americanos (OEA) deverá enviar representantes de 34 países membros para acompanhar as eleições no Brasil. Será a primeira vez que isso irá acontecer, mediante a aprovação de autoridades brasileiras.

Receba atualizações em tempo real grátis

Comentários estão fechados.