in

Alpinistas passam por cima de cadáver para chegar ao topo do Everest

cadaver everest

Esse ano a temporada de alpinismo do maior monte do mundo é a segunda mais fatal da história.

O Monte Everest, que fica há quase 9000 metros acima do nível do mar, sempre foi considerado uma desafio, a busca pela superação humana e muitos iam até lá para se provar mais capazes do que própria a natureza, afinal, sobreviver no Everest por si só já é um desafio.

Mesmo assim, esse ano, a temporada de alpinismo para o Everest se mostrou caótica e fatal, isso porque até o momento, já foram confirmadas 11 mortes.

Mas o que realmente chamou atenção, foi a foto publicada pelo cineasta Elia Saikaly, onde seu grupo de alpinistas passa pelo local onde um corpo já sem vida permanece pendurado por uma corda.

morte no everest e fila de alpinistas

 Saikaly conta que durante a noite, passaram por um grupo de 60 alpinistas, e ao amanhecer, assim que a entrada para o topo do Everest foi revelado, lá estava o corpo já sem vida, pendurado, lembrando a eles que a mortalidade é tudo uma questão de momento.

 “Aqui estávamos todos, perseguindo um sonho e sob nossos pés havia uma alma sem vida” – Elia aikaly.

As vítimas dessa temporada de escalada até o momento são:

morte no everest
Robin Haynes Fisher, 44, morreu na “zona de morte” do Monte Everest – conhecido por seus baixos níveis de oxigênio e já havia relatado suas preocupações em torno da superlotação na montanha.
  • Séamus Lawless desapareceu no dia 16 de maio depois de cair do pico do Everest, as buscas foram dadas por encerradas e Séamus é considerado morto.
  • Kevin Hynes, 56 anos, faleceu na parte norte da montanha pelo lado do Tibete.
  • Robin Haynes Fisher, 44, desmaiou e morreu a apenas 150 metros do pico
  • Quatro indianos, um austríaco, um americano e uma pessoa do Nepal morreram no Everest
  • Christopher John Kulish, um advogado americano de 62 anos, morreu repentinamente em sua descida pelo Colo sul.
  • Um homem desconhecido morreu em sua tenda a 23.000 pés na descida depois de voltar antes de chegar ao topo.

Todas essas mortes nos fazem pensar sobre o que ocorre na montanha mais alta do mundo, será que a natureza, tão perfeita e ao mesmo tempo, tão brutal, é realmente a única culpada por todas essas vidas perdidas.

O motivo pela maioria das mortes foi considerado falta de oxigênio e exaustão, essa temporada, houve um grande número de alpinistas nas mesmas trilhas, e o atraso quando se é fundamental permanecer em movimento, pode ser fatal.

Além disso, o caos da situação colocam a prova toda questão ética e humana daqueles alpinistas, sobreviver a qualquer custo torna-se um questionamento recorrentes, e nesses momentos, o pior lado do ser humano tende a aparecer.

Written by Leandro Isola

Criador do Porta Elos, formado em Gestão de TI e pai do João Olavo. É apaixonado livros e boa informação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

falha de segurança whatsapp

Novo golpe pode roubar contas de WhatsApp sem usar nenhum virus

menina orelhas de abano

Garota de 8 anos sofre bullying devido a suas orelhas de abano