in

Apple remove "Cura Gay" aplicativo para iPhone da sua App Store

[adrotate group=”10″]Depois de mais de 146 mil pessoas assinaram uma petição contra o APP (gay-cure) “cura gay” ,a Apple retirou a aplicação da sua loja virtual. O objetivo da aplicação, segundo seu criador a Exodus International , foi “prestar apoio para as pessoas que querem se recuperar da homossexualidade.” O aplicativo, que pode ser melhor descrito como uma versão móvel do site Exodus Internacional, estava disponível na App Store.

O ativista da organização Truth Wins Out (Verdade Triunfa) e do Change.org, que foi a plataforma usada para lançar a petição, elogiou a atitude da Apple. “A Apple tomou uma decisão sábia e responsável por retirar um aplicativo ofensivo que agride gays e lésbicas”, disse Wayne Besen, diretor executivo da Ong.

Em uma situação semelhante no ano passado, a Apple removeu um aplicativo anti-gay depois que 7.000 pessoas assinaram em uma petição no Change.org. O que deixa uma duvida de como a Apple faz a aprovação dos APP para colocar em sua loja, pois segundo a própria Apple todos os APP são verificados, um caso que também ocorreu em 2010, foi quando a Apple baniu uma revista sobre Android da sua loja, pois feria o contrato da loja com os desenvolvedores e preconceito não ?

A proposta que foi apresentada no congresso :

De autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), o projeto de decreto legislativo pedia a extinção de dois trechos de uma resolução de 1999 do Conselho Federal de Psicologia. O primeiro diz que “os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades”.

O segundo dispositivo que o projeto pretendia eliminar diz que “os psicólogos não se pronunciarão, nem participarão de pronunciamentos públicos, nos meios de comunicação de massa, de modo a reforçar os preconceitos sociais existentes em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica”.

Ao justificar o projeto, o autor do texto afirmou que o conselho de psicologia, ao restringir o trabalho dos profissionais e o direito da pessoa de receber orientação profissional, “extrapolou o seu poder regulamentar e usurpou a competência do Legislativ

O que você acha? Comente !

Written by Leandro Isola

Criador do Porta Elos, formado em Gestão de TI e pai do João Olavo. É apaixonado livros e boa informação.

Comente !
  1. É. Infelizmente, os homossexuais que querem se curar disso terminam tendo que fazê-lo às escuras, porque o mundo gay tem preconceito para com os que querem ser ou apoiar os héteros. Nunca vi um grupo mais contraditório do que esse.

      • Esse comentário só prova oque ele acabou de dizer.
        Se vc critica um Gay ele te chama de Gay enrustido pra te ofender, por que sabem que ser Gay, é algo pra se ter vergonha, por ser errado.
        Irônico né?

  2. A Exodus é una organização mundialmente conhecida na condenação da homossexualidade. Condenação que não deveria existir pois segundo meu livro (além de vários estudos) a homossexualidade é apenas uma das expressões naturais da sexualidade humana.

    • Não sou obrigado a gostar da homossexualidade. O que não posso é discriminar o homossexual.

      Tenho o direito de opinião. O que não posso é discriminar, agredir nem fisicamente, verbalmente, psicologicamente,… Mas posso sim achar errado.

  3. Ser gay não é doença e nem algo que se escolhe, igual uma camisa ou um sapato.É algo que nasce junto com a pessoa e faz parte do seu espírito, que tem afinidade maior com determinado sexo.O respeito é o que importa, a si e aos outros.Respeitemos a todos!

  4. O maior problema aqui não é se o homossexualismo é "correto", "normal" ou "saudável". O que pesa nessa discussão é: sem dúvida, é e deve ser crime a discriminação do homossexual, mas será adequado bloquear as manifestações contrárias ao homossexualismo?

    Não podemos deixar que, sob o pretexto de proteger os homossexuais, sejam caladas todas as vozes que discordem deles. Não podemos permitir que haja uma censura na defesa da idéia de que o homossexualismo é o "correto", "normal" ou "saudável".

    É da polarização pacífica e respeitosa de idéias que nasce o conhecimento. A aceitação obrigatória de uma idéia nunca resultou em benefício para a Humanidade.

    Penso que devemos, sim, proteger os homossexuais contra discriminação, mas devemos ter o cuidado de proteger as liberdades ideológica e de expressão, um patrimônio que foi conseguido com suor e sangue por nossa civilização no passado.

    • Os caras tem mania de dizer que Homosexualismo não doença, disturbio mental.
      Porque o povo cai de pau em cima de quem sente atração por menores de idade e por animais??? Não seria isso uma opção(ou não, porque alguns Gays dizem que não escolheram ser Gays) sexual da pessoa? Se não isso só prova que tanto Pedófilos, Zoófilos e Homosexuais são pessoas doentes.

    • eu entendo o seu comentário e até concordo com você.
      Mas (vou tentar ser claro ^^), se essas ações para "calarem" os que condenam a homossexualidade não acontecerem, terá pouco progresso para que gays tenham os mesmos direitos (em sua plenitude) dos heterossexuais.
      Quando esse objetivo for alcançado, não verei necessidade de censurar opiniões contrárias à homossexualidade; pois, assim, tanto faz a opinião de terceiros: gays terão os mesmos direitos (e deveres, é claro) que os heterossexuais.

  5. A questão principal aqui não seria a possibilidade de se discutir ou opinar a respeito da homossexuaLIDADE. Independentemente de opiniões favoráveis ou contrárias,há tempos a atração por pessoas do mesmo sexo ja foi retirada da lista internacional que discrimina quais são as doenças mentais. Em alguns países, inclusive, médicos e psicólogos são proibidos de tratar homossexuais que desejam se tornar heterossexuais. Não é uma questão de preconceito, ou de proibir que as pessoas expressem suas opiniões. É simplesmente o fato de que a ciência médica, ramo do conhecimento humano responsável por detectar se um comportamento é uma doença e assim sendo,se é passível de cura, NÃO CONSIDERA A HOMOSSEXUALIDADE DOENÇA, tanto que substituiu o sufixo "ismo", que indica a presença de uma patologia, por "lidade". Nada impede que grupos religiosos ou morais opinem sobre a questão referente aos homossexuais, mas é matéria de segurança pública que essas opiniões não ultrapassem o campo referente a esses grupos, ou seja, da religião e da moral. A Apple tomou a decisão correta em retirar o App da loja. Não estamos falando de uma situação em que um grupo oferece apoio aos homossexuais para que por exemplo, não mantenham relações com pessoas do mesmo sexo. O objetivo do App era ajudar as pessoas a se "recuperarem do homossexualismo". Podemos fazer uma analogia com uma "atividade" que era considerada doença no séc. XIX: o "onaninsmo" (masturbação). Hoje, masturbação já não é uma doença, mas nada impede que dentro de uma certa moral religiosa isso seja considerado "errado". Uma pessoa que procure um médico em busca de uma cura porque se masturba (dentro do limite do considerado saudavel, claro), provavelmente vai ouvir um "não tem nada de errado com você". Mas mesmo que não seja doença, nada impede que um padre ou pastor diga que as sementes do homem são preciosas e não devem ser derramadas ao chão. É a opinião dele, é o que ele acha certo, o que ele não pode fazer é interferir no campo da ciência médica, dizer que se masturbar é doença e ainda oferecer uma cura. A Exodus International tem todo o direito de achar a homossexualidade moralmente errada, mas como há um consenso na comunidade médica de que não é um distúrbio, oferecer uma cura para uma situação que não é uma doença pode causar sequelas irreparáveis na vida das pessoas diretamente atingidas e também na sociedade em que elas vivem.

  6. a vai tomar no cu,ngm ta doente pra se curar não,bando de gente suja,ser Gay é ser melhor q vc,seu merda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O professor favorito de Bill Gates e de seus filhos Salman Khan

Valores do seguro-desemprego sofre alteração