Bermuda no aeroporto não pode ?

17

Receba atualizações em tempo real grátis

Exite algum glamour em enfrentar filas nos aeroportos ? , a professora da PUC-Rio, Rosa Marina Meyer, usou suas redes sociais para publicar uma foto de um homem de bermuda e camiseta regata que vislumbrou no Santos-Dumont, com a legenda: “Aeroporto ou rodoviária?”. Nos comentários, compara seus trajes ao de um estivador e arremata: “O pior é que o Mr. Rodoviária está no meu voo. Ao menos, não do meu lado. Ufa!”.

A imagem foi compartilhada milhares de vezes após o perfil Dilma Bolada ter criticado a atitude de Rosa, considerada pelos internautas como preconceituosa. Mas o mais irônico disso é o que tal homem é o advogado Marcelo Santos e além de advogado, ele é procurador de uma cidade mineira, defendendo os interesses do município na justiça.

Mas o comentário da professora não foi o único fora de profissionais da educação superior, o reitor da Unirio, Luiz Pedro Jutuca, comentou a foto, dizendo que o “glamour foi para o espaço”. A professora respondeu:: “Puxa, mas para o glamour falta muuuito! Isso está mais para estiva.” A coordenadora de graduação e professora da PUC-Rio, Daniela Vargas também deixou um comentário: “hehe. E sabe o que é pior? quando esse tipo de passageiro senta exatamente ao seu lado e fica roçando o braço peludo no seu, porque – claro – não respeita (ou não cabe) nos limites de seu assento”.

Depois da repercussão todos pediram desculpas. Mas será que iam pedir ?




Glamour no aeroporto ?

Hoje em dia um voo de carreira é das piores experiências que existem pois tem filas intermináveis nos check-in, e fila para tudo, alem disso as pessoas são tratadas como animais, em lugares apertados e quentes muitas vezes.

Segundo o jornalista José Roberto de Toledo, o tal glamour só existiu nas propagandas e nos filmes destinados a convencer o público de que pagar caro por horas de tormento é um privilégio. Poderia a elite intelectual sentir falta de algo que jamais existiu? Ou a nostalgia é uma metáfora?

Será saudade de quando as divisões sociais eram claras, os espaços públicos eram exclusivos e as distâncias entre classes, intransponíveis?

A verdade é que a elite se incomoda com a nova classe C consumindo e as empresas loucas para vender, independente da classe social das pessoas, claro que ainda falta muito para o consumo das classes se igualarem, mas a verdade é que estão cada vez mais perto.

Receba atualizações em tempo real grátis

17 Comentários
  1. Andreia Landa Padin Diz

    Só no Brasil mesmo, o pior é que são professoras, aqui no EUA o povo anda de chinelo e tudo mais ….. e ninguém fica se preocupando com a vida dos outros.

  2. Adriana Vaz Diz

    Se for de leito, é mais caro e confortável que um avião.

  3. nunes Diz

    Já cansei de voar de bermuda e camiseta.
    Dane-se os preconceituosos. Isso é pra quem pode, pego mais avião que ônibus. Estou acostumado.
    Agora uma professorinha assalariada querendo dá uma de chique.

    Olhe pro seu umbigo, faça algo diferente, saia da caixinha.
    Já está na hora de perder o preconceito, ninguém é pior que você só porque não pensa igual ou anda e se veste igual. Vivemos num mundo de diversidades e todos nós merecemos respeito até você.

    Nunes

  4. Flávio Azevedo Junior Diz

    Tem ladrão que anda de terno!

  5. Renato Bento Clementi Diz

    Quer apostar como ela é professora de Sociologia, História ou Geografia que ficam com aquele discurso comunista de luta de classes e blá blá !

    1. Rubia Diz

      Errado, ela é professora de Letras.

  6. Ruan Diz

    O cara é advogado, estava voltando de um cruzeiro internacional, e como no Rio a temperatura estava muito alta, ficou de camiseta e bermuda, tomando uma gelada… Agora, a professora está lascada… Confira:

  7. Renato Cardoso Diz

    Pobres são muito esnobes pqp… Eu mesmo viajo direto, as vezes pra fazer uma conexão eu tenho que sair de madrugada e vou de bermuda mesmo, to nem aí pra gnt assim…

  8. Lessandra Kristina Diz

    Total falta de respeito.O bom disso tudo é que ela vai aprender a respeitar as pessoas.O cara é advogado de minas gerais Marcelo Santos.

  9. Marcelo Diz

    A reação das pessoas ao comentário postado pela professora no facebook é o maior exemplo do “Politicamente Correto”. Hoje em dia não se pode dizer mais nada. O erro dela foi comentar em rede social e todos sabem que na net o que foi dito não pode ser desdito.

  10. William Catelli Diz

    mimimi de todo lado…
    a mulher está errada… porém quem não fala mal de alguma coisa ou de alguém… quando todo mundo parar de ligar pra essas merdas a coisa melhora…
    O cara está de bermuda e sabe que o povo vai falar mal mesmo… se ele não ligar então tá bom… se ele não aguenta o povo falar que ele parece um cara da rodoviária então deveria estar de terno…
    só isso… quanta besteira…

  11. Alexandre K. Diz

    Para viajar é melhor uma tanga e cocar … mais refrescante!

  12. William Haddad Diz

    palhaça num país tropical onde o calor estoura caroço de mamona verde vem ela com sua retórica preconceituosa…o habito não faz o monge. como se não bastasse os jesuítas vestirem os índios vem esta palhaça nos obrigar em usar terno e gravata só para que ela se sinta em um país civilizado, mulher preconceituosa

  13. Jean Carlos Diz

    Que vergonha heim "professora" Rosa Mayer, se partisse de um leigo eu até entenderia, mas de uma pessoa que se diz educadora. ta osso.
    E tem seu companheiros, "nobres" reitores e demais. hahahahaha BRASIL SIL SIL SIL (COMECO)

  14. Rodrigo Castro Cunha Diz

    Ela tomou na cabeça o cara e da cidade vizinha chamada Nova Serrana . Ela é tao sem sorte que o cara é advogado >

  15. Sérgio Alexandre Diz

    O cara é muito mais bem-sucedido que ela indo e voltando

  16. Amoremio Mara Diz

    bem feito e gente … DEUS deu uma vida para cada um… cada um cuidar da propria vida, a idade dela acho que ja não permite isto.. mas paciencia

Deixe um cometário :)

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

close