in

Cansaço e estresse prolongado podem desencadear a Síndrome do Burnout

Sabe aquele cansaço excessivo depois de um dia de trabalho, acompanhado de um estresse prolongado que custa a passar (e às vezes não passa)? Eles podem significar muito mais do que os reflexos de um dia cheio. Talvez, você esteja sofrendo com a Síndrome de Burnout, também conhecida como Síndrome do Esgotamento Profissional.

Descoberta na década de 70 – período foi marcado por diversos acontecimentos conturbados como a guerra do Vietnã, as taxas crescentes de divórcio, um mercado que não respeitava a saúde física e mental dos funcionários e a crise econômica vinculada ao petróleo – esta síndrome é muito comum no Brasil, atualmente. Segundo pesquisa realizada pela International Stress Management Association (ISMA-BR), 70% dos brasileiros sofrem as consequências do estresse. Destes, 30% são vítimas do burnout.

“Esta síndrome tem como principais características a exaustão emocional, despersonalização (ou cinismo) e baixa realização pessoal”, afirma Bruno Haidar, cofundador da OrienteMe, plataforma de terapia online. Segundo Haidar, ficou mais difícil acompanhar a velocidade das tecnologias, das informações e o ritmo frenético de se viver, o que vem desencadeando cada vez mais casos de esgotamento.

Para ele, embora a tecnologia tenha avançado, o mundo corporativo permanece com raízes em décadas passadas, nas quais as pessoas precisam se submeter ao sistema para serem bem vistas. “É preciso, por exemplo, que você carregue o celular da empresa para onde for e responda mensagens a qualquer hora, mesmo nos momentos que deveriam ser de folga.”, explica Bruno. Ele lembra que a tecnologia uniu pessoas e melhorou a qualidade de vida dos seres humanos, mas também os mantêm pressionados diariamente.

Normalmente, o burnout acomete principalmente os workaholics (pessoas viciadas em trabalho), entretanto algumas profissões são mais propensas a desencadear o distúrbio, como profissionais da saúde, jornalistas, advogados, professores, policiais, carcereiros, oficiais de justiça, assistentes sociais, atendentes de telemarketing, bancários e executivos. No caso de algumas mulheres, a jornada dupla de trabalho – no emprego, em casa e com filhos – as tornam ainda mais vulneráveis.

Renata Tavolaro, psicóloga da OrienteMe explica que há meios de se prevenir a Síndrome do Burnout. “É preciso buscar momentos de descontração e relaxamento, cuidando para que a mente não esteja em alerta o tempo todo”, conta Renata. A prática de exercícios físicos regulares é fundamental para isso, sobretudo porque elas previnem tensões musculares ocasionadas pelo burnout, que muitas vezes chegam até mesmo a prejudicar a locomoção. “Além disso, atividade física é também um autocuidado, importante para a autoestima”.

A alimentação balanceada também é muito importante, uma vez que ajuda a repor as energias. E outro ponto essencial é valorizar os momentos de lazer com a família e os amigos. “Isso é fundamental para descansar a mente e o corpo, o que contribui para a prevenção do problema”. Sendo assim, tire férias, descanse e aproveite a folga como quiser – de celular corporativo desligado e sem olhar e-mails.

A psicóloga alerta ainda que as pessoas perfeccionistas que tendem a se cobrar mais acabam sendo mais suscetíveis a desenvolver a síndrome. Por isso, o ideal é não se cobrar tanto e entender que todos cometem erros. “Devemos aprender com eles e não nos tornarmos suas vítimas”, ensina ela. Uma boa dica também é priorizar as tarefas, evitando a sobrecarga. Faça uma coisa de cada vez, sempre finalizando o que começou e evitando, assim, ansiedade.

Por último, Renata recomenda que se cultive relacionamentos saudáveis no trabalho – o que não significa contato íntimo com as pessoas, mas sim gentileza, cooperação e empatia. “Isso pode ser feito em todos os ambientes. A vida fica muito melhor quando buscamos nos relacionar com respeito e cordialidade”, conclui ela.

Sobre a Orienteme

A OrienteMe é uma plataforma inovadora de Saúde Emocional que mapeia o grau de risco da população da sua empresa, realiza o atendimento aos colaboradores de forma personalizada com psicólogos licenciados e disponibiliza o painel corporativo em tempo real para as empresas acompanharem a evolução da saúde mental de seus colaboradores. É a única plataforma no Brasil que oferece atendimento psicológico ilimitado (disponível no app e site). Incubados na eretz.bio (do Hospital Albert Einstein), vencedores do prêmio Creator Awards da WeWork em 2018 e atende a maior seguradora do Brasil e a maior empresa de telemedicina americana.

Written by Leandro Isola

Criador do Porta Elos, formado em Gestão de TI e pai do João Olavo. É apaixonado livros e boa informação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

receita de coxinha de doce de leite

Receita de coxinha de doce de leite na AirFryer

Dieta Vegana

Dieta Vegana para Emagrecer – O que é e como montar um cardápio saudável