in

Marco Feliciano diz que Deus matou Mamonas Assassinas

Publicidade

Em meio aos debates sobre a permanência do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) na presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, começa a repercutir na internet vídeos em que o pastor “justifica” a morte de artistas,os integrantes do grupo Mamonas Assassinas. “Ninguém afronta Deus e sobrevive pra debochar!”, disse Feliciano sobre o ex-integrante dos Beatles, morto a tiros em 1980.

Feliciano também relaciona a morte dos integrantes do grupo Mamonas Assassinas à vontade divina. A banda, que morreu num acidente aéreo em 1996, ficou conhecida por letras cômicas. O conteúdo das músicas, para o pastor, era inadequado.

Publicidade

“Ao invés de virar pra um lado, o manche tocou pra outro. Um anjo pôs o dedo no manche e Deus fulminou aqueles que tentaram colocar palavras torpes na boca das nossas crianças.” disse o deputado

Veja o video :

O deputado Marco Feliciano, desde que assumiu a presidência da Comissão de Direitos Humanos, tem opinado em diversos assuntos e citado várias frases polêmicas que ganharam destaque em todo o País.

Em declarações recentes, Feliciano afirmou que não pretende deixar o comando da comissão por causa das represálias que vem sofrendo ultimamente.

Written by Leandro Isola

Criador do Porta Elos, formado em Gestão de TI e pai do João Olavo. É apaixonado livros e boa informação.

What do you think?

Comments

Comente !
  1. Sou evangélico e penso que os pastores deveriam abrir suas Bíblias e anunciarem apenas as boas novas do Reino de Deus. A nenhum homem sobre a terra foi dado o direito de julgar. O Juizo pertence somente a Deus. Deveriam calar a boca se não querem pregar a mensagem de amor deixada por Jesus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Flor do Caribe faz sucesso repaginando livro

Receitas Star Wars: Panquecas do C-3PO