Site icon Portal Elos

Greve nas Fatecs e Etecs, quando a educação será reconhecida?

As Faculdades de Tecnologia (Fatecs) e as Escolas Técnicas Estaduais (Etecs), estão em greve, como forma de reivindicar melhorias à classe de trabalhadores. Ao todo, serão 96 Fatecs e Etecs de São Paulo que vão participar do movimento.


Veja : Natura faz liquidação, (acesse aqui)

A confirmação veio do Sindicato dos Trabalhadores do Centro Paula Souza, que informou que mais de 60% das instituições do Estado ficaram favoráveis à ação e apontaram grande indignação com relação ao piso salarial e as condições atuais de trabalho. De acordo com a secretária geral do Sindicato dos Trabalhadores, Sílvia Elena de Lima, a ação será feita, principalmente, com o pedido de reajuste salarial que, segundo ela, está defasado desde 2005. “Causa indignação saber que este governo tem a ousadia de pagar R$ 10,00 a hora aula nas ETECs e R$ 18,00 nas FATECs, bem como um piso para os funcionários na casa do salário mínimo.”

Não estamos com evasão de alunos nas escolas, mas de professores e funcionários, que não permanecem por causa do salário baixo. O vale-refeição, por exemplo, é de R$ 4 por dia e, mesmo assim, alguns não têm o direito”, disse a dirigente sindical. “As instituições sempre estão em primeiro lugar no ensino e há uma cobrança muito grande de desempenho, mas não somos recompensados por isso”, disse ela. Segundo Sílvia, as melhorias já foram cobradas para os trabalhadores ao governo estadual antes de decidirem fazer a greve, porém, nenhum posicionamento foi dado.

Segundo a CARTA ABERTA `A COMUNIDADE ACADÊMICA de 18/05/2011, da FATEC – DOM AMAURY CASTANHO “O Centro Paula Souza, composto pelas FATECs e ETECs, tem sido considerado uma instituição de ensino reconhecida, com mais de 90% de empregabilidade de seus egressos, o que demonstra claramente que, mesmo sob condições adversas, seus funcionários e professores jamais deixaram de cumprir com suas obrigações. Porém, não podemos mais permanecer à mercê da falta de atenção do governo para com nossas condições de trabalho e, o que é pior, com o descumprimento de seus deveres perante a legislação vigente. ”

Manifestação

Esta marcado para às 14hs um protesto no vão livre do Masp, em São Paulo (ao lado da estação Trianon-MASP do metrô), às 14 horas.

Educação

Mais de 80% dos professores se sentem desvalorizados pela sociedade. O cenário não muda dentro da escola, onde 75% acha que a administração do colégio ou mesmo da secretaria de educação de sua cidade não reconhecem a importância da categoria. A constatação é da pesquisa A Qualidade da Educação sob o Olhar do Professor, da Fundação SM e da Organização dos Estados Ibero-americanos. Mais de 8 mil professores em 19 estados participaram do estudo.

“O fato de não serem valorizados [professores] como profissionais, sem perspectiva de bons salários ou de uma carreira, leva a um processo de desvalorização. Os jovens não procuram o magistério o que cria um efeito dominó”, comenta o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Leão.

Professor é uma das mais admiráveis profissões, e devemos lutar por essa classe, afinal de contas como ter futuro sem eduação ?

Recentemente a professora Amanda Gurgel silenciou Deputados em audiência pública, resumindo resumindo o quadro da Educação no Brasil.Veja :



Ajude na divulgação

Sair da versão mobile