in

Justiça permite tratar homossexualidade como doença e gera revolta

homossexualidade cura doença

Uma decisão da Justiça do Distrito Federal gerou revolta e está preocupando o Conselho Federal de Psicologia. Segundo a liminar do juiz federal Waldemar Cláudio de Carvalho determina que terapias de “reversão sexual” não pode ser proibidas por Conselho Federal de Psicologia, e que psicólogos possam tratar homossexualidade como doença.

Na sexta feira (15/09) a Justiça Federal do Distrito Federal permitiu, em caráter liminar, que psicólogos possam tratar gays e lésbicas como doentes e possam fazer terapias de “reversão sexual” sem sofrer qualquer tipo de censura por parte do Conselho Federal de Psicologia (CFP). Esse tipo de tratamento é proibido desde 1999, já que desde 1990 a homossexualidade deixou de ser considerada doença pela Organização Mundial da Saúde.

O Conselho Federal de Psicologia prometeu recorrer da liminar e afirmou que repudia este tipo de terapia e que ela representa “uma violação dos direitos humanos e não tem qualquer embasamento científico”.

Os representantes do Conselho Federal de Psicologia destacaram que a homossexualidade não é considerada patologia, entendimento reconhecimento internacionalmente pela OMS. E também alertaram que as terapias de reversão sexual não têm resolutividade, como apontam estudos feitos pelas comunidades científicas nacional e internacional, além de provocarem sequelas e agravos ao sofrimento psíquico.

Essa liminar já revoltou muitas pessoas, que acham a atitude desumana e imoral, e você o que achou da decisão desse juiz ?

Written by Andreia Landa Pandim

Uma pessoa que ama viver, mas que sempre precisa dos outros para ser feliz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

significados dos sonhos.jpg

Veja os significados dos sonhos mais comuns, segundo um psicólogo

golpe neymar

Golpe usa camiseta do Neymar como isca, veja como se proteger