Mania Vampiro

2

Receba atualizações em tempo real grátis

Será que nos lembramos quando que a palavra vampiro deixou de dar medo nas pessoas para arrancar suspiros das adolescentes?

Desde os tempos do famoso Conde Drácula, do livro de Bram Stoker (1897), quando a leitura não era acessível a todos e as palavras eram passadas de pais para filhos, os vampiros tiravam um misto de desejo e medo nas mulheres. Por ser uma história tão rentável desde 1922, no filme Nosferatu, é produzido e trás grandes fãs da cultura fantástica ao cinema. Em 2012  por exemplo, o fantástico Tim Burton (Alice No País das Maravilhas), diretor renomado do cinema americano está juntamente com Johnny Depp em um  novo longa sobre vampiros, Dark Shadows.

A cultura “vampírica” ganhou uma repercussão tão grande que o medo deixou de existir em seus adeptos e passou a ser uma possibilidade atrativa a algumas pessoas que às vezes sonham em se tornar um desses personagens.

Após essa revolução é impossível não pensar se essa nova mania é ou não sadia. Até qual o ponto que um adepto pode ser fã de um personagem que não existe ou um personagem que ele nunca vai ser?

Assim como as demais culturas fantásticas é necessário um certo empenho para acompanhar as histórias, afinal existe a criação de um mundo novo, um local onde há a possibilidade da existência de vampiros, portanto existe uma maior probabilidade de alienação.

Em alguns casos a alienação pode não trazer riscos para a sociedade, porém em casos mais extremos, onde uma determinada pessoa necessita SER uma criatura fantástica pode ser perigoso para pessoas próximas ou a estranhos, esta pessoa alienada pode atacar outras para se sentir mais próximo do seu desejo. É necessário muito diálogo com as crianças que estão crescendo neste meio, para que não se tornem adultos problemáticos.

As culturas fantásticas fazem parte da nossa vida, o que não devemos fazer é que elas constituam nossa vida.

Receba atualizações em tempo real grátis

2 Comentários
  1. Caroline Diz

    Acho que eu sou uma dessas pessoas, estou obcecada por vampiros mesmo sabendo que não é certo. Tenho tido ódio de tudo! Não tenho sido eu, um dia quando chegaram perto de mim me deu vontade de morde-los arrancar sangue… Logicamente eu me segurei, mas eu não sei oque está acontecendo comigo… Oque eu faço? Eu estou infeliz. Se vocês por favor puderem me ajudar eu iria agradecer… (Obs: esse não é meu nome verdadeiro o E-mail também não eu criei uma falso. Assim ninguém pode saber quem sou eu!) Aguardo a resposta… 😉

  2. Bitetti Diz

    Banalização da imagem é foda. O mesmo aconteceu com animes e rock (duas das minhas paixões).
    Mas esses dias ouvi um pessoal de um blog de rpg falando numa radio on-line uma coisa interessante, na época deles (1990~2001) existia muitos maniacos/fissurados, digo algo tão extremo que mesmo entre os grupos nerds eles conseguiam se afastar!, esse pessoal depois de crescer acabou abandonando a loucura. Pode-se imaginar que o mesmo vai ocorrer com essa geração que vcs veem agora e com a próxima.
    Os que ficarem, esses sim serão patológicos mesmo!.

    Isso não acontece só com os vampiros, lembrem-se que existe muitas meninas com orelhas de gato na rua hoje (ok confesso q curto isso) e que há até um caso extremo do homem-gato que o cara fez uma modificação corporal para ficar um thundercat.

Deixe um cometário :)

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.