in

Mulher com barba deu um exemplo de como lidar com a bullying

Publicidade

A estudante de neurociência e psicologia da universidade Ohio State, Balpreet Kaur que é praticante da fé Sikh (religião indiana), deu um exemplo de como lidar com a bullying na internet. Kaur foi fotografada em uma fila com o tradicional turbante utilizado pelos sikh e com pelos faciais – bigode, cavanhaque e costeletas – por um colega da mesma universidade.

Sob a foto, publicada no Reddit, o usuário colocou a legenda: “eu não sei o que pensar disso ainda”. Em função de sua crenças, Balpreet não altera a sua aparência, por isso estava com os pelos no rosto.

No mesmo mural em que a foto aparece originalmente, ela escreveu: “Se quisessem uma foto, bastaria ter pedido que eu poderia sorrir para a câmera”.

O post continua explicando as crenças da universitária, de que “o corpo é um presente dado pelo Ser Divino… assim como uma criança não rejeita os presentes dados pelos pais, os siques não rejeitam o corpo que lhes foi dado”. Segundo o site Mashable, os posts de Balpreet geraram uma “onda de apoio” à estudante que chegou ao autor original da mensagem no Reddit.

Publicidade

Ele escreveu: “eu senti necessidade de me desculpar com os sikh, com Balpreet e com qualquer outra pessoa que tenha se sentido ofendido com a imagem. Publicá-la foi simplesmente uma estupidez. Tirar uma onda com a cara das pessoas é engraçado para alguns, mas incrivelmente degradante para as pessoas de quem se fala. Foi incrivelmente rude, preconceituoso e ignorante postar isso”.

Mais de 1.500 comentários foram publicados no fórum do Reddit com a imagem da estudante sikh.

Com informações do Terra

Written by Leandro Isola

Criador do Porta Elos, formado em Gestão de TI e pai do João Olavo. É apaixonado livros e boa informação.

Comente !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Google completa 14 anos

Ferramentas para você votar melhor