Mulher é xingada no trânsito e sua resposta surpreendente nas redes sociais

0

Receba atualizações em tempo real grátis

Jéssica Godoy, de 24 anos, já cansou de ouvir “tinha que ser mulher mesmo” quando esta no volante. Mas no dia que estava dirigindo para o trabalho e foi ultrapassada por um carro em alta velocidade e xingada por apenas por estar respeitando o limite de velocidade de 50 km/h da via, ela ficou enfurecida, parou o carro e gravou um video para desabafar e responder o motorista imprudente, a repercussão do video foi enorme: e já foi visito por 2 milhões de pessoas, veja :


Especial : Confira novidades da Natura para essa semana (acesse aqui)

Para quem não pode ver o video, leia o que ela disse :

“Queria aproveitar agora que eu estacionei o meu carro pra mandar um recadinho para o rapaz que me ultrapassou hoje cantando pneu e gritando pela janela que “tinha que ser mulher mesmo”. Foi tão rápido que eu não tive nem chance de responder na hora.

Mas ô, infeliz, tinha que ser mulher mesmo pra respeitar o limite de velocidade de uma via, para não precisar ter um sinal vermelho em cima da minha cabeça para poder parar e dar preferência a um pedestre. Tinha que ser mulher mesmo pra acordar mais cedo e escolher roupa, passar maquiagem, fazer cabelo (…) Tinha que ser mulher mesmo para sair de casa zelando pela vida de todo mundo quando senta atrás de um volante, inclusive a sua (…)

Então você tenha uma boa viagem, dirija com mais segurança, seja um pouquinho mais mulher no trânsito de repente, vai ser bom para você e para todo mundo.”

Ao Jornal extra Jessica disse “Fiquei indignada com o jeito dele de dirigir, de forma inconsequente. Mas o que me tirou do sério foi o que ele falou, ainda mais porque eu estava correta. Ele se sentiu na liberdade de falar aquilo porque viu que eu era mulher. Se fosse homem, duvido que tivesse coragem. Aquilo ficou engasgado em mim, e, assim que cheguei no trabalho, gravei o vídeo”

As mulheres sempre foram vítimas de preconceito no trânsito, isso porque ao longo do tempo dirigir um veículo sempre foi uma tarefa associada à figura masculina, mas nas estatísticas isso não é realidade, segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), em 2014, dos mais de 60 milhões de motoristas no Brasil, quase 20 milhões são do sexo feminino e, 71% dos acidentes são provocados pelos homens e apenas 11% pelas mulheres, sem contar que 70% das multas são para motoristas do sexo masculino.

As mulheres mostram que são mais cautelosas, provocam menos acidentes e dirigem melhor.

Receba atualizações em tempo real grátis

Deixe um cometário :)

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.