in

O mundo dos efeitos sonoros

Os efeitos sonoros de um filme podem causar tanto impacto que é muito comum ver pessoas tampando os ouvidos ao invés de fechar os olhos em uma cena de um filme de terror, suspense ou aventura. Tem também o som do casco do cavalo do príncipe indo resgatar a princesa que nunca sai da cabeça das meninas que cresceram assistindo contos de fadas da Disney. E quem não se lembra dos barulhos de soco ou de tiros da série do Batman que vinham seguidas de uma animação: POW! BANG! CAPLOFT!

Quando um filme está sendo rodado, o microfone capta todo o som ao seu redor, até aqueles do fundo. Para corrigir diálogos, aumentar algum som e diminuir outros, entra em ação o editor de som. O trabalho é muito importante e tem até categoria no Oscar só para isso: melhor edição de som. Do som de passos, aos estalos da madeira queimando numa lareira, tudo pode ser editado numa cena. Esta prática começou em 1929, quando o time de Jack Foley transformou o filme mudo Show Boat em um festival de sons.

Dizem que o melhor profissional é aquele que consegue colocar som no movimento de um vestido de seda durante uma dança, ou o barulho dos passos do Homem de Ferro, mas, nas cenas de luta o melhor é chamar a atenção. Esta é a opinião do artista de som, Marko Costanzo, responsável pelos efeitos sonoros de filmes como Os Infiltrados e O Tigre e o Dragão. “Eu costumava bater fraco, agora bato forte para não ter que fazer a mesma cena três vezes”, somente para se ter uma ideia em alguns filmes é gravado mais de gravou mais de 1500 sons.

Submarino.com.br


Fonte Wired

Written by Leandro Isola

Criador do Porta Elos, formado em Gestão de TI e pai do João Olavo. É apaixonado livros e boa informação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apple lançou jointventure para apoiar pequenas empresas.

Microsoft tenta eliminar o IE6 da internet