Padre expulsa menino autista do batizado da própria irmã

1

Receba atualizações em tempo real grátis

Nessa época em todos devemos ter mais empatia, pois vivemos um período muito nebuloso, um padre deu um exemplo de como não se comportar com as pessoas e acabou expulsando da igreja um menino com autismo de apenas 7 anos por fazer barulho e o chocante é que era o batizado de sua irmã e a igreja estava somente com a família.

A mãe das crianças Julia Vicidomini, ficou extremamente chateada e disse que vai parar de frequentar a igreja que frequente a vida toda. Ela disse que se sentiu confortável em levar o filho Nicky, autista não verbal, para igreja pois a igreja estaria vazia e com isso ele não iria se incomodar com a multidão.

Nicky começou a  brincar com a bola e a fazer barulho,  o menino estava acompanhado da avó para não se machucar, mesmo assim o padre ordenou que ele fosse embora. “Leve-o para fora. Fora, fora, fora!” .

Na hora a mãe tentou explicar que Nicky é uma criança com necessidades especiais, menos assim o padre não ligou e ainda em vez de se desculpar disse que  o menino o estava distraindo.

Veja o video :

Julia disse que frequenta a igreja desde a infância, mas depois desse incidente, ela e sua família não planejam voltar.

“Pretendo encontrar uma igreja que seja mais receptiva às crianças com necessidades especiais”, disse ela.

Veja em nosso site :

O Que É Autismo ? Conheça Mais Sobre Esse Transtorno

Famosos Com Autismo Fizeram Coisas Incríveis Pelo Mundo

Pedreiro Aprende Balé Para Ajudar Filhas Autistas E Da Exemplo

A Igreja que fica na cidade de Hillside em Nova Jersey, ainda não soltou um comunicado, mas a Arquidiocese de Newark, divulgou uma nota com pedidos de desculpas.

Em nome da paróquia e da Arquidiocese de Newark, pedimos nossas sinceras desculpas pelo comportamento abrupto demonstrado por um de nossos padres no sábado durante uma cerimônia familiar privada. O padre não sabia que o irmão brincando em uma sala de velas próxima durante a cerimônia tem autismo. O padre não entendeu o comportamento da criança, ele se sentiu despreparado para responder apropriadamente e sua reação à situação não foi pastoral. Ele reconhece e lamenta o erro. Nosso Escritório Arquidiocesano para o Ministério Pastoral com Pessoas com Deficiência está em contato com a família para apoiar e estamos trabalhando com todos para chegar a uma resolução pastoral e garantir que haja uma maior consciência no trabalho com pessoas com deficiência e suas famílias.

Receba atualizações em tempo real grátis

1 comentário
  1. Scheila Diz

    Lamentável a atitude desse padre! Deve rever Os ensinamentos de Cristo! Eu nunca mais pisaria na igreja!

Deixe um cometário :)

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

close