in

Qual sistema móvel pode deixá-lo rico? Ganha uma maçã quem adivinhar

Pesquisa divulgada pela empresa Distimo revela que, quando a questão é lucratividade com apps, a lojinha da Apple ganha do Android de lavada.

Atenção, desenvolvedores para smartphones: Vocês ainda não ficarão ficos com o Android Market da Google. Mantenha distância da confusão da fragmentação de sistemas e mire no iOS da Apple; essa é a mensagem da empresa de análise de app stores Distimo. A última pesquisa dessa empresa nos diz que os usuários de Android simplesmente não tem gasto dinheiro. Uma absurda fatia de 80% de todos os apps pagos disponíveis globalmente no Android Market foram baixados menos de cem vezes.

Segue a pesquisa: “Descobrimos que apenas duas aplicações pagas foram baixadas mais de meio milhão de vezes no Google Android Market até hoje em todo o mundo, enquanto seis aplicações pagas na App Store da Apple geraram o mesmo número de downloads em um período de dois meses e apenas nos Estados Unidos.”

O relatório pode ser obtido no site da Distimo.

Pagou, levou
Você tem aquilo pelo qual paga. Enquanto a Apple impõe rígidos padrões de qualidade sobre os apps de sua App Store, a Google não. Isso significa que quando você visita a loja da Apple terá certeza de uma garantia de qualidade. Mas, quando visita a loja da Google a única coisa que sabe é que, em termos de segurança, você terá de proteger a si mesmo, e que nem todo app funcionará tão bem em cada uma das versões do Android.

Siga a grana

Argumenta-se que apenas a Google faz dinheiro com o Android. A Google responde por 20% dos apps mais baixados do mercado Android – Google Maps (como número um) e YouTube (em terceiro), em uma lista dominada por utilitários.

E quem fica rico com Google Maps e YouTube? Google. E quem pega a maior fatia da receita com anúncios inseridos em apps para o Android? Google. Assim, na Android-lândia, parece que o risco fica com os fabricantes de aparelhos e os desenvolvedores, enquanto a Google leva o dinheiro.

Compare isso com a Apple. Uma entrevista com o investidor do iFund, Matt Murphy, revela que as empresas que fazem games e outros apps para aparelhos da Apple têm sido contratadas ou compradas por outras empresas que buscam ganhar penetração imediata no mercado móvel.

“Várias de nossas empresas receberam ofertas de compra nos últimos seis meses e eu presumo que essa tendência vai continuar”, disse Murphy à Reuters. “Se você não tem um produto móvel líder, será melhor entrar nesse jogo porque, daqui a um ou dois anos, será muito tarde.”

Ele explica a equação: Levou 18 meses para que a desenvolvedora Ngmoco alcançasse uma receita mensal de 1 milhão de dólares. No iPhone, essa marca agora é alcançada em seis meses. Murphy avisa que o cenário está mais competivivo, mas diz não ter planos de lançar um fundo de desenvolvimento com foco no Android.

Apps são importantes. O CEO da Forrester, George Colony, os vê como o começo da App Internet, que alcançou um valor de mercado de 2,2 bilhões e tem crescido a uma taxa anual composta de 85%. “Esta é a arquitetura do futuro”, disse Colony

Fonte : IDGNOW

Written by Leandro Isola

Criador do Porta Elos, formado em Gestão de TI e pai do João Olavo. É apaixonado livros e boa informação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fifa ameaça cortar sedes da Copa de 2014

Com 71 anos, brasileiro cria rede social para empresas