Sindicatos criam novas taxas para compensar fim de imposto sindical

0

Receba atualizações em tempo real grátis

Sindicatos pelo Brasil estão aprovando taxas e cobrando mesmo sem autorização para compensar as perdas com o fim do imposto sindical.

O fim do imposto sindical entrou em vigor em novembro, mas sindicatos estão aprovando em assembleias extraordinárias a cobrança de taxas que, na prática, substituem o velho imposto.

O pior que algumas cobranças serão maior do que o cobrado anteriormente, o Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, por exemplo,fixou em 3,5 dias de trabalho a nova taxa, sendo que o imposto sindical era de 1 dia de trabalho.

Já o Sindicato dos Farmacêuticos de Goiás fixou o valor R$ 160 e deu prazo de pagamento até dia 10 de março, para os profissionais do estado pagarem e ainda ameaçou os profissional que os mesmos deviam proteger, dizendo pagamento era obrigatório e os que não pagarem correm o risco da suspensão do exercício da profissão.

Do total arrecadado em imposto sindical em 2016, R$ 2,9 bilhões, segundo o Ministério do Trabalho, 60% foram distribuídos entre os sindicatos; 15%, para as federações das categorias; 5%, para as confederações dos trabalhadores; 10%, para as centrais sindicais; e 10%, para o governo.

Segundo advogados uma assembleia do sindicato não dá o direito de realizar o desconto no salário do trabalho, pois segundo a nova legislação, otrabalho deb. “O sindicato precisa de uma autorização prévia”, frisa.

Receba atualizações em tempo real grátis

Deixe um cometário :)

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

close