USP terá projeto de Cloud Computing

0

Receba atualizações em tempo real grátis

Publicidade

Seguindo exemplo de universidades estrangeiras que já adotaram modelos cloud, como Harvard e Massachussetts Institute of Tech­nology (MIT), a Universidade de São Paulo (USP) será a primeira instituição brasileira a utilizar intensiva e institucionalmente um sistema de Cloud Computing , a universidade vai construir a maior Cloud Universitária da América Latina e a primeira no Brasil no segmento acadêmico.

O termo “ cloud computing ” se refere ao conceito de computação em nuvens e abriga serviços em três níveis: corporativo, educacional e científico, acessíveis também em dispositivos móveis e computadores terminais instalados pelas Unidades. Tudo monitorado por softwares de segurança e anti-spam, com customização do usuário, mecanismos de backup e recuperação.

Na Universidade, por iniciativa da Reitoria, a implantação do sistema de computação em “nuvem” teve início há cerca de um ano e meio e os principais benefícios serão em relação à economia de recursos e à visibilidade da própria Universidade. A computação em “nuvem” deverá atender a questões de sustentabilidade como obsolescência, lixo eletrônico, energia, segurança digital e patrimonial. Além disso, com um programa robusto em computação, haverá a garantia de cópias de segurança realizadas por equipes especializadas.

“A decisão de implantar um projeto dessa magnitude, pioneiro e arrojado, é uma das várias decisões estratégicas da gestão para fazer com que a USP tenha lugar cativo entre as universidades de ponta mundiais”, destaca o reitor João Grandino Rodas.

Conduzida pela Solve System, parceira Citrix, a aplicação será realizada em dois Datacenters e atende todas as unidades e áreas de ensino e pesquisa.

A Nuvem USP entrou no ar no aniversário da USP e da cidade de São Paulo e já é uma realidade para o início das atividades acadêmicas em 2013.

Internet Data Centers

Na USP, os órgãos que centralizam os sistemas de computação são o Centro de Computação e Eletrônica (CCE), no campus de São Paulo, o Centro de Informática do campus “Luiz de Queiroz” (Ciagri), em Piracicaba; Centro de Informática de São Carlos (Cisc); e o Centro de Informática de Ribeirão Preto (Cirp). Além desses, existem os Centros de Processamento de Dados (CPDs) em algumas Unidades da Universidade, que foram construídos para suprir necessidades específicas.

Com o Cloud USP, tais centros serão reunidos em Internet Data Centers (IDCs), que deverão abrigar um conjunto de supercomputadores formando a chamada “nuvem”. A Cidade Universitária “Armando de Salles Oliveira”, por exemplo, terá dois IDCs, um no campus e outro que será construído em uma área externa próxima. Cada campus do interior também terá o seu IDC.

Publicidade

No sistema Cloud USP, os serviços acontecerão em três domínios: corporativo, educacional e científico. No domínio corporativo, estão englobados os serviços de e-mail, pagamentos, recursos humanos, gerenciamento de disciplinas e notas, emissão de diplomas e certificados, convênios e contratos. Os serviços poderão ser ofertados em dispositivos móveis e computadores terminais (thin-client) nas Unidades e nos campi.

O domínio educacional abrigará os serviços voltados à atividade essencial da Universidade — graduação, pós-graduação, pesquisa e extensão universitária. A adoção de meios eletrônicos em práticas pedagógicas presenciais, concomitantemente com a disponibilidade dos conteúdos educacionais na forma de mídias digitais, é uma realidade que deve ser considerada diante de uma nova geração de estudantes altamente conectada. No campo da extensão, Cloud USP possibilitará que a Universidade se “abra virtualmente”, com a digitalização e disposição on-line de seus acervos de suas bibliotecas e museus.

No domínio científico, os serviços serão voltados à atividade de investigação científica, tanto com ênfase no armazenamento massivo de dados (dados de instrumentação, acervos etc.) quanto no processamento computacional intensivo. Dentro do conceito do e-science, o Cloud USP permitirá, por exemplo, a coleta de informações, de forma mais ágil, para os rankings internacionais de avaliação de universidades.

Os recursos já despendidos no Cloud USP, oriundos do orçamento da USP, são de cerca de R$ 200 milhões. Na aquisição de equipamentos para integrar a “nuvem”, foram investidos cerca de R$ 120 milhões. O Cloud USP é viabilizado com a realização de um conjunto de projetos em infraestrutura de redes físicas, redes sem fio e IDCs em todos os campus.

Com informações do Convergência Digital

Receba atualizações em tempo real grátis

Deixe um cometário :)

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.